Início
 
Olá, qual é o seu nome?

Diz aí. Pode contar pra gente! =D
Sem timidez, vai.
 
Olá {{answer_QrYOaDy0OU9V}}, vamos nos conhecer melhor?
Agora precisamos saber seu e-mail!

Não se preocupe, não enviaremos spam =D
 
Pronto {{answer_QrYOaDy0OU9V}}, nós do Correio te desejamos boa sorte... o/.
Temos certeza que você vai se dar bem =D.

Escreva a profissão que você almeja e prossiga para a vitória!

Sei que já te desejamos boa sorte {{answer_QrYOaDy0OU9V}}, mas sorte nunca é demais rsrs ^^. Agora é com você, #partiu!
 
Este é o último fascículo da área de Ciências Humanas e suas
Tecnologias. Nele, vamos reforçar as competências 3 e 6, 
constituídas, respectivamente, pelas habilidades de 11 a 15, e de 26 a 30.
Se liga no textão pra entender um pouco mais.


 
Ciências Humanas e suas Tecnologias

   A competência de área 3 visa à compreensão da produção e do papel histórico das instituições sociais, políticas e econômicas, associando-as aos diferentes grupos, conflitos e movimentos sociais. Suas habilidades esperam que o candidato identifique registros de práticas de grupos sociais no tempo e no espaço; analise o papel da justiça como instituição na organização das sociedades; analise a atuação dos movimentos sociais que contribuíram para mudanças ou rupturas em processos de disputa pelo poder; compare diferentes pontos de vista, presentes em textos analíticos e interpretativos, sobre situações ou fatos de natureza histórico-geográfica acerca das instituições sociais, políticas e econômicas; e avalie criticamente conflitos culturais, sociais, políticos, econômicos ou ambientais ao longo da história.

   A competência 6 trata da compreensão da sociedade e da natureza, reconhecendo suas interações no espaço em diferentes contextos históricos e geográficos. Suas habilidades têm por objetivo identificar em fontes diversas o processo de ocupação dos meios físicos e as relações da vida humana com a paisagem; analisar de maneira crítica as interações da sociedade com o meio físico, levando em consideração aspectos históricos e/ou geográficos; relacionar o uso das tecnologias
com os impactos socioambientais em diferentes contextos histórico-geográficos; reconhecer a função dos recursos naturais na produção do espaço geográfico, relacionando-os com as mudanças provocadas pelas ações humanas; e avaliar as relações entre preservação e degradação da vida no planeta nas diferentes escalas.

   No próximo fascículo, traremos questões relativas à área de Ciências da Natureza e suas Tecnologias.

Bons estudos!

 
ATENÇÃO

 
 

 
Questão 01

De acordo com o tempo religioso, a história da humanidade dividia-se em duas etapas: antes e depois da vinda do Salvador. O ano era orientado segundo os principais atos do drama de Jesus (Natal, Quaresma e Páscoa) e pelos dias santos. (...) A marcação das horas era dada pelo repique dos sinos, que convocava para os ofícios religiosos e reforçava o principal objetivo dos homens medievais: a salvação da alma.

A respeito da relação sociedade e religião no período medieval, é correto afirmar que *

CAMPOS, F. A escrita da história. Volume único: ensino médio.
2ª Ed. São Paulo: Escala Educacional, 2009.

 
 

 
Questão 02

   Desde sua aprovação, em 1979, a lei vem sendo aplicada de maneira a impedir a abertura de processos judiciais contra civis e militares que reconhecidamente foram responsáveis por sequestros, torturas, desaparecimentos, mortes de pessoas consideradas inimigas do regime pós-1964. A lei hoje em vigor não é exatamente a sancionada em 1979, pois, em diferentes momentos, por votação do Congresso Nacional, artigos seus foram suprimidos ou modificados. Uma das alterações garantiu o pagamento de indenizações aos familiares de mortos e desaparecidos e aos perseguidos políticos.

Analisando o excerto acerca da implementação da referida lei, conclui-se que *

Reis Filho, D. A. A ditadura que mudou o Brasil: 50 anos do golpe de 64.
1.ed. – Rio de Janeiro: Zahar, 2014. p. 173.

 
Questão 03

   Desta guerra de todos os homens contra todos os homens também isto é consequência: que nada pode ser injusto. As noções de bem e de mal, de justiça e injustiça, não podem aí ter lugar. Onde não há poder comum não há lei, e onde não há lei não há injustiça. Na guerra, a força e a fraude são as duas virtudes cardeais. A justiça e a injustiça não fazem parte das faculdades do corpo ou do espírito. Se assim fosse, poderiam existir num homem que estivesse sozinho no mundo, do mesmo modo que seus sentidos e paixões. São qualidades que pertencem aos homens em sociedade, não na solidão.

O pensador Thomas Hobbes expõe seu pensamento político acerca da origem e da função do Estado em sua obra, Leviatã, por meio da qual e de acordo com o texto, *

HOBBES, T. Leviatã.

 
Questão 04

   Creio que (...) é impossível aos governantes que vivem atualmente
sobre a Terra tirar qualquer proveito ou derivar a menor sombra de qualquer autoridade daquela que se supõe a fonte de todo o poder, “os direitos de prerrogativa privada de Adão e sua autoridade paterna”. Assim, a menos que se queira fornecer argumentos àqueles que acreditam que todo governo terrestre é produto apenas da força e da violência, e que em sua vida em comum os homens não seguem outras regras senão as dos animais selvagens, em que o mais forte é quem manda, e assim justificando para sempre a desordem e a maldade, o tumulto, a sedição e a rebelião (coisas contra as quais protestam tão veementemente os seguidores dessa hipótese), será preciso
necessariamente descobrir uma outra gênese para o governo, outra origem para o poder político e outra maneira para designar e conhecer as pessoas que dele estão investidas.

Tomando como referência o texto e os conhecimentos acerca do pensamento político de John Locke, é correto afirmar que *

LOCKE, J. Segundo Tratado sobre o Governo Civil.

 
 

 
Questão 05

   A iniciativa crítica e o êxito imediato do movimento dependiam dos Dragões, e em particular (...) de Silva Xavier. O alferes parece ter recebido a missão de convencer a cavalaria e de fazer a propaganda do movimento. E era tarefa para a qual era bem dotado. Sua profissão secundária de dentista dava-lhe excelente pretexto para visitar as casas dos magnatas, proporcionando-lhes também acesso a todos os níveis sociais onde seus cúmplices não podiam se arriscar sem provocar comentários.

Interpretando o fragmento de texto, percebe-se que Tiradentes *

Maxwell, K. A devassa da devassa: a inconfidência mineira, Brasil – Portugal, 1750 – 1808: [tradução João Maia]. p 193.

 
Questão 06

   Eu tenho um sonho que, um dia, nas colinas vermelhas da Geórgia, os filhos dos descendentes de escravos e os filhos dos descendentes dos donos de escravos poderão se sentar junto à mesa da fraternidade. (...)

   Eu tenho um sonho que minhas quatro pequenas crianças vão um dia viver em uma nação onde elas não serão julgadas pela cor da pele, mas pelo conteúdo de seu caráter. Eu tenho um sonho hoje!

   No dia 28 de agosto de 1963, sobre as escadarias do Memorial Lincoln, em Washington, perante uma audiência de mais de duzentas mil pessoas, o pastor protestante e ativista político Martin Luther King proferiu seu mais famoso discurso “Eu tenho um sonho”.

O fragmento acima deve ser entendido no contexto
*

Martin Luther King

 
 

 
Questão 07

   (...) Quanto às construções, destacam-se a casa-grande, sede da propriedade e moradia de seu dono e sua família, servia também como fortaleza, hospedaria e escola. Como extensão dela, estava a capela, local privilegiado para a vida social de toda a comunidade de um engenho, pois nela acontecia, principalmente nos domingos e dias santos, casamentos, batizados e missas.

   (...) Milhares de pessoas não diretamente ligadas à extração aurífera mudaram-se para a região das minas. Assim, clérigos, advogados, artesãos, intelectuais, burocratas, militares e comerciantes instalaram-se nas vilas e cidades, formando um setor médio (...).

A análise dos textos anteriores e os conhecimentos sobre a sociedade colonial permitem afirmar que
*

FREITAS NETO, J. A.; TASINAFO, C. R. História geral e do Brasil. 2ª Ed. São Paulo: Harbra, 2011.:

 
Questão 08

Texto I

   Portanto, a propriedade privada, na forma que existe na sociedade
capitalista – dando à classe dos proprietários o direito de explorar os demais – deve ser abolida. Mas como? Pedindo-se aos donos das propriedades que abram mão delas? Eliminando pelo voto seus direitos de propriedade? Na verdade, não, disseram Marx e Engels. Como então? Qual o método advogado? A revolução.

Texto II

   (...) Negou todo o absoluto e todas as instituições baseando-se unicamente na incondicional soberania do indivíduo humano. Negou todas as leis naturais e uma humanidade comum. (Max Stirner)
   (...) Odiou o Estado e as fronteiras, ao mesmo tempo em que professou convicções nacionalistas. Uma frase sua tornou-se slogan dos libertários do mundo inteiro: “A Propriedade é um Furto”. (Pierre-Joseph Proudhon)

Comparando os pontos de vistas expressos nos fragmentos, pode-se afirmar corretamente que *

Texto l: HUBERMAN, L. História da Riqueza do Homem. 3a ed. Rio de Janeiro: Zahar, 1967, p.242.
Texto ll: COSTA, C. T. O Que é Anarquismo. 15a ed. São Paulo: Editora Brasiliense, 1990, p.32-35.

 
 

 
Questão 09

   O exército, por sua vez, saiu do conflito com um sentimento de
identidade desconhecida anteriormente, forjada no sangue nos campos de batalha. Após o final da guerra, foi crescente a dissociação entre o exército e a monarquia a ponto de, 1889, ele ser um instrumento dos republicanos para dar o Golpe de Estado em que, depois, Pedro II criou a república brasileira.

Analisando o excerto, pode-se inferir que *

Maldita guerra: nova história da Guerra do Paraguai / Francisco Fernando
Moteoliva Doratioto. – São Paulo: Companhia das Letras, 2002, p. 484.

 
Questão 10

   As revoltas populares do século XIX e de parte do século XX, tanto rurais como urbanas, se deram como consequência da expansão da lei, da capacidade reguladora do Estado. Quando a população pobre do século XIX se revoltou contra o recenseamento, o recrutamento, a mudança do sistema de pesos e medidas, o aumento de impostos, ou quando, no século XX, pegou em armas contra a vacina obrigatória, ela estava protestando contra uma lei considerada ilegítima por contrariar valores comunitários, religiosos ou mesmo políticos.

No que concerne ao ambiente de sedições apresentado, conclui-se que a população *

Figueiredo, L. História do Brasil para os ocupados.
1. Ed. Rio de Janeiro: Casa da Palavra, 2013. p.266.

 
Questão 11

   Foi na tevê de uma lanchonete do aeroporto de Curitiba que vi a imagem, um tanto onírica, de uma das torres do World Trade Center perfurada no terço superior e emitindo labaredas que subiam num rolo de fumaça contra o límpido céu azul de uma manhã de outono. (...) 

   Naquele dia, George Bush se escondeu. Quando reapareceu, o mundo estava irremediavelmente transformado. Começava a “primeira guerra do século 21”, um conflito que a Casa Branca crismou, numa desastrada declaração inicial, como uma “cruzada” em defesa da “civilização” (...).

No fragmento, o professor e jornalista Demétrio Magnoli relembra
os atentados de 11 de setembro de 2001 nos Estados Unidos,
que mataram 3 000 pessoas de 54 nacionalidades e de diversas
religiões – inclusive muçulmanos – e alteraram, de forma decisiva,
os rumos do século XXI.

Entre as principais transformações/consequências do 11 de setembro, destaca-se *

MAGNOLI, D. Terror Global. São Paulo: Publifolha, 2008, p. 5-6.

 
 

 
Questão 12

   Na planície avermelhada os juazeiros alargavam duas manchas verdes. Os infelizes tinham caminhado o dia inteiro, estavam cansados e famintos. Ordinariamente andavam pouco, mas como haviam repousado bastante na areia do rio seco, a viagem progredira bem três léguas. Fazia horas que procuravam uma sombra. A folhagem dos juazeiros apareceu longe, através dos galhos pelados da caatinga rala.

Esse trecho da obra de Graciliano Ramos descreve características
do semiárido nordestino, onde o sistema hídrico é marcado por *

Ramos, G. Vidas Secas, capítulo I – Mudança.

 
Questão 13

   Um mercado avassalador dito global é apresentado como capaz de homenagear o planeta quando, na verdade, as diferenças locais são aprofundadas. Há uma busca de uniformidade ao serviço dos atores hegemônicos, mas o mundo se torna menos unido, tornando mais distante o sonho de uma cidadania verdadeiramente universal.

Observando o desenvolvimento da globalização e do espaço geográfico, pode-se inferir que *

SANTOS, M. Por uma outra globalização. Rio de Janeiro: Record, 2000.
Imagem: O Globo, 21 jun. 2007.

 
 

 
Questão 14

   Mostrengo enviado para punir o povo de Tebas por ter afrontado
os deuses, a Esfinge tinha cabeça e seios de mulher, corpo e patas de leoa, e asas de águia. Instalada às portas da cidade, ela exigia que seus melhores jovens a enfrentassem. Todos eram impiedosamente trucidados porque não conseguiam responder ao enigma que ela lhes propunha. Desgraça que só terminou quando apareceu um esperto rapaz, vindo de Corinto e chamado Édipo. Ele matou a charada, provocando o suicídio da fera. O resto da lenda é bem conhecido.
   Pois bem, o “desenvolvimento sustentável” também é um enigma à espera do seu Édipo [....].

O desenvolvimento sustentável se define de forma enigmática por constituir-se enquanto desafio do século XXI. Analisando de maneira crítica as interações da sociedade com o meio físico, a partir do enigma, infere-se que *

VEIGA, J. E. Desenvolvimento sustentável: o desafio do século XXI. 3ª edição.
Rio de Janeiro: Garamond, 2008, p.3.

 
 

 
Questão 15

   Restos de alimentos e de plantas, cascas de legumes e frutas, além de outros resíduos orgânicos, podem deixar de ser lixo e ganhar uma útil função na agricultura: a de adubo. Para garantir a alta qualidade, foi desenvolvido um sistema de automação que permite aperfeiçoar a transformação do material orgânico em húmus para as lavouras. O equipamento permite a injeção automática de oxigênio no lixo orgânico, favorecendo a proliferação de micro-organismos que decompõem os resíduos até chegar ao adubo. Além de proporcionar um composto barato, natural, sem aditivos químicos, de alto valor nutritivo para as plantas, o sistema significa uma solução menos poluente para o destino do lixo doméstico e comercial, um problema sério enfrentado por centros urbanos.

Correspondem ao destino proposto para o lixo orgânico e ao resíduo
desse material quando não tratado, respectivamente, *

Disponível em: www.faperj.br (adaptado).

 
 

 
Questão 16

Observa-se, na figura a seguir, um problema ambiental que decorre, indiretamente e sobretudo, das ações antrópicas sobre a
natureza.

Reconhecendo a função dos recursos naturais na produção do espaço geográfico e relacionando-os com as mudanças provocadas pelas ações humanas, pode-se inferir que um dos impactos ambientais advindos da exploração de ouro em rios é *


 
 

 
Questão 17

A desertificação é o maior problema que afeta os solos na região do semiárido brasileiro. Em todo o Brasil, são quase 1 500 municípios
afetados por essa degradação ambiental, que é causada *


 
Questão 18

China aprova importação de soja
transgênica desenvolvida no Brasil

   As novas variedades transgênicas de soja aprovadas pela China são: Intacta RR2 Pro (Monsanto), CV127 (Basf) e Liberty Link (Bayer). Elas foram desenvolvidas no Brasil com o objetivo de impedir a infestação de lagartas que causam danos às lavouras do grão.

   Segundo o Ministério da Agricultura, as variedades já têm autorização
da CTNBio, Comissão Técnica Nacional de Biossegurança, para serem plantadas no Brasil, mas as empresas que detêm a tecnologia estavam esperando autorização da China. O país é o principal comprador da nossa soja e, só nos primeiros quatro meses deste ano, importou 70% da produção nacional.

   A libertação acontece no momento em que os agricultores de Mato Grosso já definiram boa parte das estratégias para a safra 2013/2014. Praticamente 80% das sementes que vão ser plantadas já foram compradas, segundo o Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária, mas os 20% restantes representam um mercado expressivo, algo em torno de 1,9 milhão de sacas de sementes, que ainda precisam ser adquiridas pelos produtores.

Dentre as desvantagens apresentadas na produção de alimentos transgênicos, pode-se dizer que *


 
 

 
Resoluções 

01 C

A sociedade feudal foi marcada por uma profunda desigualdade social. A organização da sociedade em estamentos beneficiava os grandes proprietários de terras. A Igreja Católica tinha grande importância, pois, além de ser uma grande proprietária de terras, possuía, na época, o monopólio do conhecimento. Esse conhecimento era utilizado para justificar as relações de dominação, determinando que as realidades sociais eram estabelecidas por Deus.

 
02 E
Em agosto de 1979, foi lançada a Lei de Anistia, que concederia perdão a todos aqueles que tivessem cometido crimes políticos durante a ditadura civil-militar. A referida lei não perdoava crimes de sequestro, assaltos a banco ou assassinato, mesmo que os mencionados crimes estivessem associados a militantes contrários ao regime. Os militares não foram investigados em suas posições consideradas desumanas ou arbitrárias. A Lei de Anistia não se mostrava ampla ou mesma irrestrita.

 
03 C
Para Hobbes, no chamado estado natural, cada pessoa é capaz e tem direito a tudo. Diante da escassez, por exemplo, há uma guerra constante entre os homens (Bellum omnia omnes). Mas os homens, entende Hobbes, também teriam um desejo de acabar com esse estado de guerra e, por isso, teriam feito um contrato social; para isso, necessitariam de uma autoridade forte e centralizada: o Estado, o qual é representado pela figura do Leviatã.

 
04 B
John Locke, considerado o pai do liberalismo, é um dos principais
nomes da chamada Filosofia empirista britânica. Ele entendia que o conhecimento é resultado da percepção sensorial seguida das experiências; a mente humana seria, pois, uma espécie de “tábula rasa” e, por meio dos sentidos e das experiências, chegaríamos ao conhecimento. Do ponto de vista político, porém, Locke entende que, em estado de natureza, cada indivíduo poderia exercer o papel de juiz e aplicar a pena que considerasse justa ao infrator. Ao povo seria dado o direito de destituir seu governante, caso este não atendesse às demandas da sociedade.

 
05 A
O movimento, muito embora heterogêneo, com a participação de proprietários, militares, poetas, padres, dentre outras categorias sociais, não apresentou uma composição popular e também não expressou um desejo genuíno por um reformismo que contemplasse as massas populares; portanto, conservou um padrão elitista, não fazendo alusão ao abolicionismo ou a um reformismo mais radical. Joaquim José da Silva Xavier (Tiradentes), considerado o desafortunado do movimento, seria aquele que promoveria a ligação entre os conspiradores e as camadas populares, devendo inclusive pleitear apoio em outras cidades.

 
06 E
O Movimento dos Direitos Civis para os Negros Norte-Americanos, nas décadas de 50 e 60 (século XX), tinha como objetivo a conquista de reformas que pudessem abolir a discriminação e a segregação racial no país. Um dos marcos desse movimento foi o discurso proferido pelo pastor Martin Luther King em Washington (1963). Conhecido como “Eu tenho um sonho”, o discurso foi o coroamento da Marcha de Washington, uma manifestação que reuniu milhares de pessoas na capital norte-americana na luta pelos direitos civis aos negros.

 
07 A
Os textos apresentam duas realidades diferentes: a sociedade açucareira e a mineradora. Enquanto a sociedade açucareira era eminentemente rural, patriarcal e escravocrata. A mineradora trouxe uma série de transformações, entre elas: o processo de urbanização e a valorização da mão de obra livre.

 
08 A
Para os marxistas, a construção do socialismo deveria ser precedida por uma revolução do proletariado, capaz de derrubar o sistema capitalista. Para os anarquistas, a derrubada do capitalismo também deveria ser acompanhada da destruição do Estado, instituição opressora a serviço das desigualdades e da sociedade hierarquizada.

 
09 C
Para o Brasil, a guerra aprofundou o endividamento do Estado brasileiro com a Inglaterra, representando além de um custo social e humano um significativo abalo econômico em nossas estruturas. O exército brasileiro, o herói da pátria, saiu fortalecido como instituição nacional, o que contribuiria    decisivamente para o desejo dos militares por maior participação política na vida pública nacional. A participação de escravos no conflito estimulou o futuro movimento abolicionista que ameaçaria uma das estruturas conservadoras que mantinham o império de pé. A difusão de ideais republicanos foi uma outra máxima para o período, pelo fato de se constatar, na América Latina, que o Brasil ainda era um reduto monarquista em meio às repúblicas.

 
10 C
A abolição da escravatura (1888) ou ainda a proclamação da República (1889) não foram acompanhadas de uma efetiva participação das camadas populares mais pobres. As reformas sociais necessárias para a inclusão dos mais pobres não foram feitas. A população, de uma forma geral analfabeta, não conhecia a legislação do Estado e não se sentia representada. Em meio a esse cenário, a massa miserável e analfabeta   no campo, que dependia das terras de um grande proprietário, passou a impetrar resistência.

 
11 E
Uma das consequências dos atentados terroristas de 11/9/2001
foi a adoção, por parte dos EUA, de uma política externa que
ficou conhecida como Doutrina Bush, pela qual os americanos
defendiam seu direito de agir, ainda que de forma unilateral,
contra países/governos/organizações que colaborassem com
o terrorismo ou fossem considerados uma ameaça à segurança
territorial dos EUA.

 
12 E
A obra de Graciliano Ramos descreve o êxodo de uma família sertaneja assolada pela seca do semiárido e pela falta de expectativas de vida, marcada pela grande desigualdade social e injustiças. O semiárido é marcado por elevadas médias térmicas anuais e irregularidades de chuvas que, quando exposto ao fenômeno El Niño, perpassa por uma longa estiagem. Os rios são sazonais, ou seja, secam durante  um período do ano em virtude da elevada insolação, baixa permeabilidade, em que a estrutura geológica é marcadamente cristalina.

 
13 A
O geógrafo Milton Santos define espaço como acumulação desigual de tempos. Nessa perspectiva, o espaço geográfico é coagulação do trabalho social, materialização de ideias e de ações das sociedades sobre a natureza. O espaço materializa diferentes tempos sociais; sua gênese e evolução constituem o objeto da geografia.

 
14 B
A questão aborda o tema da sustentabilidade, em que os interesses do sistema capitalista se contrapõem aos princípios de sustentabilidade, pois o consumo exagerado da sociedade expõe a natureza aos riscos de uma degradação sem volta, em que a única vítima é a sociedade e,    consequentemente, o sistema capitalista.

 
15 B
A compostagem consiste na transformação de matéria orgânica encontrada no lixo em adubo orgânico, processo favorecido pela proliferação de micro-organismos presentes nos resíduos em condições ideais de temperatura, aeração e umidade. O resíduo desse material quando não tratado é o chorume, líquido poluente de cor escura originado de processos biológicos, químicos e físicos da decomposição do material orgânico. O armazenamento inadequado do chorume pode implicar a contaminação de rios e águas subterrâneas.

 
16 B
O assoreamento constitui um acúmulo de sedimentos na calha de rios que pode ter causas naturais, como grandes pluviosidades que podem acarretar um maior carregamento de areais para a calha do rio, mas potencializado também pelo desmatamento. Na questão, fala-se sobre a exploração de ouro em rios, muito comum na Amazônia brasileira quando os mineradores usam bombas hidráulicas nas margens, ampliando a quantidade de sedimentos no rio.

 
17 A
No semiárido nordestino, a desertificação encontra-se associada ao manejo inadequado dos recursos naturais por ações antrópicas. A agricultura irrigada, o desmatamento indiscriminado, o pastoreio extensivo, as queimadas, a extração de lenha para olarias, carvoarias e abastecimento de centros urbanos, a extração mineral e a construção de arragens desempenham papel importante no processo de desertificação no semiárido nordestino.

 
18 E
O glifosato é um herbicida sistêmico não seletivo (mata qualquer tipo de planta) desenvolvido para matar ervas, principalmente perenes. É o ingrediente principal do “Roundup”, herbicida da Monsanto. Muitas plantas culturais geneticamente modificadas são simplesmente modificações genéticas para resistir ao glifosato. Na Argentina, o uso massivo do glifosato provocou a aparição de resistência,     levando a um aumento progressivo das doses usadas e, assim, a uma desvitalização
e perda de fertilidade do solo. O herbicida elimina também as bactérias indispensáveis à regeneração do solo.

Obrigado por responder a este typeform
Agora crie o seu — é grátis, fácil e espetacular!
Criar um <strong>typeform</strong>
Powered by Typeform